PROTEUS EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

PROTEUS EDUCAÇÃO PATRIMONIAL




sábado, 30 de abril de 2011

EDUCAÇÃO PATRIMONIAL - TEXTOS

O QUE É MAIS IMPORTANTE
Autor: Carlos Henrique Rangel

O mais importante na Educação Patrimonial é o caminho para se chegar aos objetivos.
É o que se aprende no caminho.
Aprender a olhar é mais importante que o próprio olhar.
Aprender a fazer é mais importante do que o que vai ser feito.
Aprender a sentir dará sentido ao que foi sentido, ao que vai ser sentido.
Por que mais que um projeto a ser executado é um mundo a ser desvendado.
- Uma nova visão.
- Uma nova percepção.
- Entender diferente o que se achava entendido.

Educação Patrimonial é a busca do entendimento de se mesmo e do seu mundo.
Por que o que somos é parte do que vimos. Do que vemos.
Seremos seres humanos melhores se nos compreendermos, tendo como base o passado e os vestígios deste passado.
As coisas nos falam sempre.
E sempre de nós mesmos...

quarta-feira, 27 de abril de 2011

EDUCAÇÃO PATRIMONIAL -SITES

EDUCAÇÃO PATRIMONIAL SITES



A Educação patrimonial nas escolas


Luana Silva Bôamorte de Matos*[1]; Jonas José de Matos Neto**[2]

http://www.partes.com.br/educacao/educacaopatrimonial.asp


Turismo cultural e educação patrimonial mais próximos
Iniciativas recentes começam a abrir as portas a duas áreas que têm potencial para crescerem juntas
Daniel Chiozzini

http://www.labjor.unicamp.br/patrimonio/materia.php?id=147



Reportagem
A consciência do valor
Ainda são raros no Brasil os casos em que é a população que pede a patrimonialização do bem. Quando isso acontece, a valorização é muito maior
Carolina Cantarino

http://www.labjor.unicamp.br/patrimonio/materia.php?id=132



PRODUÇÃO DE MATERIAIS EDUCATIVOS
http://www.4shared.com/get/2vSqTzvA/Produo_de_materiais_educativos.html

http://www.4shared.com/get/znBxFf3w/Elaborao_de_materiais_de_divul.html

PATRIMÔNIO CULTURAL - INTERNACIONAL

PATRIMÔNIO CULTURAL INTERNACIONAL


A REALIDADE DO PATRIMÔNIO DO PAQUISTÃO E AFEGANISTÃO


http://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&langpair=en%7Cpt&u=http://0303ffd.netsolhost.com/wp-content/uploads/2010/03/05-2005_Afghanistan_Pakistan.pdf




A Arte de Interpretação e Implementação em Patrimônio Cultural

http://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&langpair=en%7Cpt&u=http://www.bbk.ac.uk/study/modules/FDAP/FDAP024H7.html




PALESTINA

http://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&langpair=en%7Cpt&u=http://www.cchp.ps/



PATRIMÔNIO EUROPEU – DECLARAÇÃO

http://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&langpair=en%7Cpt&u=http://ec.europa.eu/research/fp6/ssp/sustaining_heritage_en.htm



O QUE É PATRIMÔNIO CULTURAL?

http://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&langpair=en%7Cpt&u=http://www.canberra.edu.au/centres/donald-horne/cultural-heritage/what-is

O que é patrimônio cultural? O natural e artificial


É herança cultural necessariamente "homem". Se aceitarmos que a paisagem tem sido moldada por mãos humanas, em seguida, são os campos, e montes de árvores menos patrimônio cultural? São animais património cultural, se eles foram criados de maneiras particulares e para servir 'cultural' termina? Esta classe levanta questões sobre a distinção entre o natural eo cultural, com especial referência às coleções de animais.

EDUCAÇÃO PATRIMONIAL - POESIAS - BARRIGUDA

BARRIGUDA
Autor: Carlos Henrique Rangel
 

A barriguda frondosa

Adorada, amada

Sombra dava refrescava.

Respeitada, cobria a vida

Da gente que passava

Ou ficava na praça...

A barriguda adorada

Assistia as idades

Das gentes:

Pirralhos, adolescentes

Idosos...

Todos freqüentes

No constante vai e vem

Dos dias...

Um dia de noite turva,

Iluminadas por raios cortantes

A barriguda frondosa

Alvo fácil e orgulhoso

Foi rasgada, mutilada



Pelas lâminas das nuvens...

Morreu a barriguda adorada

O povo que a amava

Chorou suas dores

E como parente querido

Foi velada pela madrugada

Em rezas, choros e velas...

Em poemas e desenhos

Foi cantada...

Foi-se a sombra que dava...

A cobertura de vidas.

O olhar de quem passava...



Mas o que ocorreu?

O milagre sucedeu.



D. Zizinha plantou um filho de árvore

Em adoração silenciosa

E o que se tinha perdido

Morto mas não esquecido

Pode voltar aos vivos

Na pele de sua prole.

A muda de barriguda

Será a nova barriguda

Para alegria

Dos moços, pirralhos, idosos

E adolescentes

Todos contentes

E rezam agradecidos

Aos Céus

O milagre presente



Todos esperam que

A nova barriguda

Seja digna de sua mãe

Que continue com

O povo,

Oferecendo sombra

E abrigo.

Lembrando o passado

Glorioso da amiga perdida.

Que seja um presente.

Que seja sempre presente

A nova barriguda

Já adorada pelo povo,

Por todas as gentes.



fonte: http://www.paracatu.net/index.php?act=vendo_lendo&id=14


segunda-feira, 25 de abril de 2011

EDUCAÇÃO PATRIMONIAL - POESIA

LINGUAS DOS HOMENS
Autor: Carlos Henrique Rangel



SEMINÁRIO E ENCONTROS 2011

SEMINÁRIOS ENCONTROS E FÓRUNS




ABRIL

NATAL

I Seminário multidisciplinar de patrimônio histórico cultural

http://www.natal.rn.gov.br/bvn/paginas/ntc-434.html




AGOSTO

SÃO PAULO

10º Seminário Internacional de Pesquisa em Leitura e Patrimônio Cultural

http://www.upf.br/jornada/2011/index.php/10o-seminario-internacional-de-pesquisa-em-leitura-e-patrimonio-cultural.html


NOVEMBRO

XIV SEMINÁRIO DE ARQUITETURA LATINO-AMERICANA

CAMPINAS, BRASIL, 8 A 11 DE NOVEMBRO DE 2011

CAMPINAS - SP

http://www.suzanncordeiro.com/eventos/xiv-seminario-de-arquitetura-latino-americana/

PATRIMÔNIO IMATERIAL

PATRIMÔNIO IMATERIAL - BLOG

http://amejimina.blogspot.com/2011/04/la-comunidad-y-el-patrimonio-cultural.html?spref=fb

EDUCAÇÃO PATRIMONIAL - VISÃO

DO LIVRO SHIKASTA
DE DORIS LESSING
Editora Nova Fronteira - 1982. pág.212

É isso que devem lembrar: que todas as crianças têm a capacidade de ser qualquer coisa.
Uma criança é um milagre, uma maravilha! Uma criança tem em si toda a história da raça humana, que se estende no passado mais remoto, a uma distância difícil de imaginar. Sim, esta,  a pequena Otilie, tem na substância do seu corpo e no seu pensamento tudo que já aconteceu a cada indivíduo humano.

 Assim como uma fatia de pão tem todas as substâncias de todos os grãos de trigo usados para a sua confecção, misturado a todos os grãos daquela colheita e à substância do solo onde cresceu, assim também esta criança é o produto de toda a colheita de seres humanos.
(...)
Lembrem-se, esta criança não é o que parece ser, é mais, é tudo e guarda dentro de si todo o passado e todo o futuro - Lembrem-se disso.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

PATRIMÔNIO IMATERIAL NO BRASIL

PATRIMÔNIO IMATERIAL NO BRASIL

Patrimônio imaterial no Brasil: legislação e políticas estaduais; 2008
"Cavalcanti, Maria Laura Viveiros de Castro; Fonseca, Maria Cecília Londres; UNESCO Office Brasilia; Instituto Brasileiro de Educação e Cultura (Brazil)"
http://unesdoc.unesco.org/images/0018/001808/180884por.pdf
FAPESP e Condephaat lançam chamada de propostas


Seg, 18 de Abril de 2011 04:04

ShareA FAPESP e o Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado (Condephaat), Unidade de Preservação do Patrimônio Histórico da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo (SEC), publicam chamada de propostas no âmbito do acordo de cooperação entre as instituições, firmado em dezembro de 2010. A chamada tem como objetivo selecionar propostas de pesquisa em inventários de caracterização, mapeamento e seleção do Patrimônio Cultural do Estado de São Paulo.
---------------------------------------------------------------
Em linhas gerais, as propostas devem ser pautadas pela busca de soluções novas e criativas e pela disseminação e comunicação do conhecimento.

Espera-se que os projetos de pesquisa: a) Articulem atividades de pesquisa e desenvolvimento para promover o avanço do conhecimento cultural do território paulista, traduzido em representações de seu patrimônio material e imaterial; b) Auxiliem o Condephaat a inventariar, identificar, mapear, selecionar e analisar criteriosamente bens representativos; c) Subsidiem a implantação de projetos inovadores em políticas públicas relacionadas à área de atuação da SEC/Condephaat e de interesse do Estado de São Paulo e contribuam para a formação de recursos humanos nessas áreas.

As propostas devem ser apresentadas à FAPESP na forma de Auxílio à Pesquisa – Regular, seguindo todas as condições e restrições dessa linha de fomento, exceto nos aspectos estabelecidos nesta chamada.

As propostas serão recebidas até o dia 20 de junho de 2011. O período de vigência do auxílio à pesquisa será de 24 meses.
Para aplicação no conjunto de projetos selecionados foram reservados pela FAPESP e SEC recursos no valor de R$ 3 milhões, igualmente compartilhados entre as duas instituições. Cada projeto não pode ultrapassar o valor de R$ 300 mil.

Mais informações: www.fapesp.br/acordos/condephaat

FONTE: http://www.planetauniversitario.com/index.php?option=com_content&view=article&id=21592:fapesp-e-condephaat-lancam-chamada-de-propostas&catid=22:bolsas-e-concursos&Itemid=74

sábado, 9 de abril de 2011

PROMOTORIA ESTADUAL DE DEFESA DO PATRIMÔNIO CULTURAL

08/04/2011


Promotoria Estadual de Defesa do Patrimônio Cultural participa do Ministério Público Itinerante


Jequitinhonha, Januária, Montes Claros e Serro recebem a visita dessa Promotoria

A Promotoria Estadual de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico de Minas Gerais participará das ações do projeto Ministério Público Itinerante nas cidades de Jequitinhonha (12 e 13 de abril), Januária (13 de maio), Montes Claros (24 e 25 de maio) e Serro (31 de maio e 1º de junho). Serão convidados representantes de 180 municípios do norte de Minas e das regiões do Jequitinhonha e Mucuri.

Segundo o promotor de Justiça Marcos Paulo de Souza Miranda, serão ministrados nessas cidades minicursos, com duração de três horas, sobre como e porque preservar os atrativos culturais e turísticos. O objetivo é capacitar os gestores locais (prefeitos, vereadores, secretários, membros dos Conselhos Municipais de Defesa do Patrimônio Cultural, arquitetos, historiadores e outros) e aproximá-los do Ministério Público.

O curso será constituído de uma palestra e uma mesa redonda em que representantes de instituições convidadas explicarão seus papéis e responderão a perguntas dos participantes. Participarão: Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha); Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan); Comando do Corpo de Bombeiros (Cobom); Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Minas Gerais (Crea-MG), entre outras.

Em Jequitinhonha a palestra será realizada na tenda do projeto Ministério Público Itinerante (Praça de Eventos na rua Sabino Pinheiro, 131, Centro) às 17 horas. Serão distribuídos materiais de capacitação e fornecidos certificados.
As inscrições podem ser feitas pelo email gepcultural@mp.mg.gov.br ou pelo telefone (31) 3250-4620.

Apresentações culturais regionais, definidas pelas cidades visitadas, farão a abertura dos eventos, que também contarão com a presença de artesãos locais e venda de comidas típicas.
Confira as cidades convidadas a participar das palestras:
Para o minicurso da cidade de Jequinhonha estão convidados representantes dos Municípios de Águas Formosas, Bertópolis, Crisólita, Fronteira dos Vales, Machacalis, Santa Helena de Minas, Umburatiba, Almenara, Bandeira, Divisópolis, Mata Verde, Palmópolis, Rio do Prado, Rubim, Araçuaí, Coronel Murta, Itinga, Padre Paraíso, Ponto dos Volantes, Virgem da Lapa, Carlos Chagas, Jacinto, Jordânia, Salto da Divisa, Santa Maria do Salto, Santo Antônio do Jacinto, Felisburgo, Jequitinhonha, Joaíma, Monte Formoso, Comercinho, Itaobim, Medina, Nanuque, Serra dos Aimorés, Caraí, Catuji, Itaipé, Novo Cruzeiro, Águas Vermelhas, Cachoeira de Pajeú, Divisa Alegre, Pedra Azul, Ataleia, Ladainha, Novo Oriente de Minas, Ouro Verde de Minas, Pavão, Pote, Teófilo Otoni.

Para o minicurso da cidade de Montes Claros estão convidados representantes dos municípios de Bocaiuva, Engenheiro Navarro, Francisco Dumont, Guaraciama, Olhos d'Água, Coração de Jesus, Ibiaí, Lagoa dos Patos, São João da Lagoa, São João do Pacuí, Francisco Sá, Capitão Enéas, Grão Mogol, Cristália, Josenópolis, Janaúba, Nova Porteirinha, Verdelândia, Montes Claros, Juramento, Glaucilândia, Mirabela, Patis, Claro dos Poções, Pirapora, Buritizeiro, Jequitaí, Porteirinha, Catuti, Pai Pedro, Riacho dos Machados, Serranópolis de Minas, Rio Pardo de Minas, Montezuma, Ninheira, Santo Antônio do Retiro, São João do Paraíso, Vargem Grande do Rio Pardo, Salinas, Fruta de Leite, Novorizonte, Padre Carvalho, Rubelita, Santa Cruz de Salinas, Taiobeiras, Berizal, Indaiabira, Várzea da Palma, Lassance.

Para o minicurso da cidade do Serro estão convidados representantes dos Municípios de Capelinha, Água Boa, Angelândia, Couto de Magalhães de Minas, Datas, Diamantina, Felício dos Santos, Gouveia, Monjolos, Presidente Kubitschek, São Gonçalo do Rio Preto, Senador Modestino Gonçalves, Aricanduva, Carbonita, Itamarandiba, Campanário, Frei Gaspar, Itambacuri, Jampruca, Nova Módica, Pescador, São José do Divino, Franciscópolis, Malacacheta, Setubinha, Central de Minas, Itabirinha de Mantena, Mantena, Mendes Pimentel, Nova Belém, São Félix de Minas, São João do Manteninha, Berilo, Chapada do Norte, Francisco Badaró, Jenipapo de Minas, Minas Novas, Cachoeira de Pajeú, Divisa Alegre, Pedra Azul, Rio Vermelho, Alvorada de Minas, Santo Antônio do Itambé, Serra Azul de Minas, Serro, José Gonçalves de Minas, Leme do Prado, Turmalina, Veredinha.
E em Januária estão convidados os representantes dos Municípios de Brasília de Minas, Campo Azul, Japonvar, Luislândia, Ponto Chique, Ubaí, Espinosa, Mamonas, Januária, Bonito de Minas, Cônego Marinho, Itacarambi, Pedras de Maria da Cruz, Manga, Jaíba, Matias Cardoso, Miravânia, São João das Missões, Montalvânia, Juvenília, Monte Azul, Gameleiras, Mato Verde, São Francisco, Icaraí de Minas, Pintópolis, São João da Ponte, Ibiracatu, Lontra, Varzelândia, São Romão, Santa Fé de Minas.

FONTE:
Assessoria de Comunicação do Ministério Público de Minas Gerais - Núcleo de Imprensa

Tel: (31) 3330-8016/8166/9534 Siga a Asscom no Twitter: @AsscomMPMG

07/04/11 (ouvidoria/mpi/promotoria estadual patrimônio cultural) Bianca Costa (ABC Comunicação) Revisão: AsscomMPMG

Promotoria Estadual de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico de Minas Gerais

Rua Timbiras, 2941 - Barro Preto - Belo Horizonte - MG - CEP 30140-062

Telefax: 31-3250-4620

FUNDO MUNICIPAL DE PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL

Desterro do Melo: Imagem sacra tombada é restaurada com recursos do FUMPAC na Zona da Mata mineira




O município de Desterro do Melo, na Zona da Mata mineira, está resgatando uma das mais importantes obras de arte sacra do acervo da cidade. A imagem do Divino Espírito Santo, obra tombada pelo município pertence à Igreja Matriz de Nossa Senhora do Desterro (edificação também tombada, em nível municipal). A restauração está sendo realizada no Laboratório de Conservação e Restauração de Bens Culturais em Juiz de Fora através de uma parceria da Prefeitura Municipal com a Paróquia de Nossa Senhora do Desterro. O procedimento é coordenado pelo Conselho Municipal do Patrimônio Cultural e financiado com recursos do Fundo Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural – FUMPAC, instituído pela atual administração municipal.

A parceria da Paróquia, através do Pe. Sabino, e comunidade, através dos conselhos da Paróquia e do Patrimônio Cultural tem sido fundamental para o planejamento da política municipal de preservação do patrimônio. Como conta a Chefe da Equipe Técnica do Patrimônio Cultural, Cristiane Pinheiro Luna “Já estamos sonhando e planejando outros investimentos como a restauração de outros bens móveis e integrados que compõem o acervo da Matriz que conta com obras de escultura do Mestre Santa Bárbara e pinturas de Antônio Porfírio, dois dos importantes artistas sacros da Zona da Mata”. A entrega da imagem do Divino Espírito Santo está prevista para setembro, por ocasião da 3ª edição da Jornada Mineira do Patrimônio Cultural, quando a comunidade receberá de volta seu bem cultural que tem grande valor cultural, assim como grande sentido devocional.


AÇÃO EDUCATIVA
A ação educativa empreendida pelo município é um grande salto na política de preservação do patrimônio cultural na cidade. O Professor Danilo Amaral, membro do Conselho Municipal do Patrimônio Cultural, atua como professor de Patrimônio Cultural nas escolas do município. O professor reconhece a importância de sua função ao constatar que infelizmente nem todos os administradores tem a visão da importância de manter um profissional exclusivo para trabalhar com educação patrimonial, durante todo o ano. “Aqui em Desterro do Melo fazemos da educação patrimonial um processo sistemático e permanente de fato. A preservação do patrimônio deve ser buscada constantemente” analisa o professor.
Essa ação é um bom exemplo da necessidade de unir dimensões importantes da política de municipalização da proteção do patrimônio empreendida pelo estado de Minas Gerais através do IEPHA: a proteção, a conservação e a educação. O restaurador Valtencir Almeida dos Passos, especialista em restauração pelo CECOR-UFMG, que está executando o restauro, ressalta que além da conservação física da obra, que está sendo realizada de acordo com os critérios técnicos e científicos da Ciência da Conservação e com o pleno acompanhamento dos conselheiros, a equipe está preparando uma ação educativa sobre a execução do procedimento de restauro. “É preciso aproximar cada vez mais a comunidade das ações de preservação do patrimônio local, sobretudo dos bens tombados. A restauração é uma oportunidade de resgatar os valores de uma obra e principalmente de conscientizar e mobilizar a sociedade” reflete o restaurador.
Fonte: Assessoria de Comunicação / Conselho Municipal do Patrimônio Cultural / Prefeitura Municipal de Desterro do Melo.

Fotos: Cristiane Pinheiro Luna.

PATRIMÔNIO IMATERIAL

Lisboa - Seminário debateu políticas e paradigmas no património imaterial


O património etnológico e imaterial depois da Convenção de 2003 da UNESCO foi mote para um debate a 6 de Abril na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Um encontro onde se falou de globalização, identidade e do trabalho desenvolvido no terreno.

Sara Pelicano
sexta-feira, 8 de Abril de 2011

O Seminário de «Estudos Aprofundados sobre Usos da Memória» do Instituto de Estudos de Literatura Tradicional (IELT) contou com a intervenção de Paulo Ferreira da Costa. O director do Departamento do Património Imaterial do Instituto dos Museus e Conservação (IMC) fez uma comunicação subordinada ao tema: «Do Património Etnológico ao Património Imaterial: Políticas, Paradigmas, Paradoxos».
A apresentação incidiu sobre os aspectos que «têm vindo a solidificar esta área do património imaterial, transmitindo que não se trata de uma realidade nova», afirmou o orador. E acrescentou que «durante muito tempo falou-se de património etnográfico, património etnológico, contudo terminologicamente tudo muda a partir do final de década de 1990 e sobretudo a partir de 2003 com a adopção por parte da UNESCO da convenção para a salvaguarda do património cultural imaterial».
Esta Convenção defende «o respeito pelo património cultural imaterial das comunidades, dos grupos e dos indivíduos em causa; a sensibilização, a nível local, nacional e internacional, para a importância do património cultural imaterial e do seu reconhecimento mútuo e a cooperação e o auxílio internacionais», tal como vem descrito no documento da convenção.
«Esta convenção é um instrumento de referência internacional que tem servido de mote a um novo olhar sobre este domínio que nas últimas décadas tem sido subvalorizado do ponto de vista da actuação patrimonial relativamente a outras áreas, como arte, património arqueológico, industrial», adiantou Paulo Ferreira.
O especialista sublinhou, ainda, que a «a convenção da UNESCO é um grito de alerta veemente contra os efeitos nefastos da globalização que produzem uma homogeneização cultural muito grande e uma imposição de padrões culturais dominantes sobre a diversidade das culturas do mundo».
As tradições populares são, por isso, as que ocupam maior destaque em todas as fases de inscrição na lista candidata a Património Imaterial da UNESCO. Houve inscrições nos anos de 2008, 2010 e estão actualmente a decorrer. Paulo Costa referiu que «a lista é enorme e entre vários países do Mundo está Portugal com a candidatura do Fado».
Quanto às políticas, Paulo Ferreira da Costa abordou o trabalho que tem sido feito a nível global para «dar resposta a esta convenção e a sua implementação nos seus territórios nacionais». Neste contexto mostrou a diversidade de soluções que têm vindo a ser adoptadas, em todo o mundo, como por exemplo no Japão e na Coreia do Sul, países onde foram criados, ainda na década de 1950 e 1960, os primeiros programas de salvaguarda do Património Imaterial nos quais a UNESCO se viria a inspirar nos anos de 1990.
Em Portugal, decorrente da ratificação da Convenção de 2003, «o Estado português ficou responsável pela elaboração de um inventário nacional do património imaterial cultural», adiantou o orador. Este trabalho está a ser desenvolvido no departamento dirigido por Paulo Costa.
A UNESCO considera património cultural imaterial «práticas, representações, expressões, conhecimentos e aptidões que as comunidades, os grupos e os indivíduos reconheçam como fazendo parte integrante do seu património cultural». Está ainda considerado «os instrumentos, objectos, artefactos e espaços culturais que lhes estão associados».
No plano dos paradigmas e paradoxos é de salientar uma chamada de atenção para as dificuldades que ainda existem na defesa do património imaterial. «Há exigências, planos de actuação relativos àquilo que a UNESCO preconiza, através da convenção para a salvaguarda do património imaterial, que colocam enormes desafios para a actuação no terreno. Neste plano, os principais desafios prendem-se com a necessária articulação a desenvolver entre as comunidades detentoras de património imaterial e os agentes técnico-científicos que são chamados a fazer o processo de documentação e inventário do património imaterial.


FONTE: http://www.cafeportugal.net/pages/noticias_artigo.aspx?id=3363